28 de junho de 2009

Programa Espelho nesta segunda às 21h30




Programa imperdível. Este programa finaliza a trilogia. Aqui será exibida a ultima entrevista da psicanalista NEUZA SANTOS. Falecida em dezembro. Onde após 25 anos sem dar entrevistas ela faz revelações surpreendentes sobre seu livro escrito nos anos 70.

Além de Neuza temos também a Mãe meninazinha DÓxum que resolveu colocar na sua casa de Candomblé um consultório de psicologia, pois segundo ela : “Nem todos os problemas são coisa de Orixá. As vezes a coisa esta na cabeça.”.


Não esqueça de ir a sessão de promoção do blog e concorrer a um prêmio.


(...)

No momento em que vai ao ar essa matéria, uma importante personagem desse conjunto de reportagens a que demos o título de Trilogia da Mente, já não está mais entre nós. No dia 20 de dezembro de 2008, na cidade do Rio de Janeiro, onde vivia a psiquiatra, psicanalista e escritora baiana Neusa Santos Souza, autora de Tornar-se Negro, primeira obra sobre a vida emocional dos afro-brasileiros, surpreendeu a todos nós quando decidiu dar fim à própria vida. Logo ela, que passara a maior parte de sua existência dando alento e ajudando a estruturar personalidades de negros e não negros. Convencendo-os da força dos sujeitos na construção das próprias vidas, do valor da auto-estima, do respeito a si mesmo. E na capacidade de transformação da sociedade. Logo ela, que dera a própria vida como exemplo, vencendo as inúmeras dificuldades de uma infância pobre na Bahia, transformando-se numa intelectual respeitada em círculos profissionais tão elitizados. Atos extremos como esse sempre levam a especulações. Entre as muitas preferimos acreditar naquela dada por um jornalista carioca: ela teria dado a sua própria desistência como um sintoma de resistência radical frente a coisas contra quais sempre lutara: o racismo entre elas!

À Doutora Neusa que se foi: nosso profundo respeito e saudades. E uma singela homenagem nessa matéria em que a equipe do Espelho teve o privilégio de conversar com a psicanalista. Um momento raro, ao lado de uma personalidade tão especial, que havia 25 anos estava fora dos círculos militantes e não falava com a imprensa.



Horário Alternativo: Terça – feira às 16h / Sábado às 12h30

2 comentários:

danirom disse...

A toda equipe do espelho, parabéns pela sensível homenagem à tão querida Neusa. Mais do que isso, obrigada pela oportunidade de rever Neusa. Se vcs não conheciam Neusa, não tenham dúvidas: era ela toda ali, com sua elegância, firmeza e risadas inconfuníveis. Fiquei tocada, senti muitas saudades.
Daniela.

Katia Costa-Santos disse...

Como nao tenho mais tempo para acreditar em coincidencias, para mim agora esta sacramentada a importancia de termos, nós negros, um sujeito negro público da estirpe de Lazaro Ramos, e um programa como o Espelho, com esta "apariçao" de Neusa. Alguém tem dúvida?
Confesso que, como nao a conheci pessoalmente, em dois minutos de programa eu ja havia abandonado "a vitima" e ja estava totalmente encantada e seduzida pela grande intelectual. Agora entendo melhor qdo disseram que ela havia negado, no programa, tudo o que escrevera no seminal livro. Nao, nao entendi assim. O que percebi em sua exposicao foi a evidência de sua evoluçao como intelectual, apresentando a sua tese sobre um assunto trazido por ela a público ha mais de 20 anos atrás. E como intelectual séria que era, ela seguiu em suas investigaçoes, reflexoes e análises e assim foi mudando de estágios, moldando sua tese. Pra mim foi uma felicidade constatar sua mudança. Com sua fala percebi que Nesua nao foi a intelectual de um livro só, de uma ideia só, congelada no tempo. O que vi diante de Lazaro e Sandra foi uma intelectual muito maior do que a nossa romântica expectativa. Que ela descanse em paz!
E a voces, meu muito obrigada por amenizar nossa angústia com essa perda, pois foi o que se deu em mim depois do programa -- que eu achava que ia destruir meu espírito.

Povo do Espelho, "keep up the good work!"

Abraços negríssimos!