18 de fevereiro de 2015

Dica de livro: Becos da memória


Centrado no drama dos moradores de uma favela prestes a ser demolida, Becos da memória ganha nova e bem cuidade edição, pela Editora Mulheres, de Florianópolis. Sob a ameaça de despejo – “o plano de desfavelamento [...] aborrecia e confundia a todos”–, vidas e sonhos, experiências e saberes, são postos em risco. A trama se desenvolve sob o olhar de uma menina de 13 anos, a narradora Maria-Nova, que vive todo o processo e se torna porta-voz das alegrias e sofrimentos dos demais. (...)  As histórias, tecidas sem linearidade, vão surgindo a partir de um universo fraturado – a comunidade surpreendida pelo processo de remoção. (...) 


É neste espaço, nos becos sem nome e sem significação maior para os demais habitantes da cidade, que as histórias guardadas na memória de Maria-Nova percorrem o cotidiano de exclusão e miséria. O discurso da personagem mobiliza experiências, passa por traumas oriundos da escravização e recupera saberes resguardados na oralidade. Compõe assim uma narrativa entrelaçada por vozes afrodescendentes de diversas gerações, em cenários que vão do ambiente da lavoura aos “quartos de despejo” das grandes cidades. É por esta fala de menina – simultaneamente jovem e antiga – que Conceição Evaristo encena as origens e as consequências da desigualdade. 




Serviço
Becos da Memória
Autor(a): Conceição Evaristo
Editora Mulheres


Texto editado de Divirta-se
Leia o texto original aqui

Sem comentários: