13 de janeiro de 2016

Dica de livro: Kalunga poemas de um mar sem fim

“Kalunga, além de aglutinar versos de comprometimento com a causa negra, é dotado de uma santa poesia, nascente de águas e abebes e luta e ginga e dança... o verso de Lande Onawale tem o poder de transcender à metáfora e chegar rente aos ouvidos e consciência das novas gerações...
Kalunga é a concretização da urgência e necessidade da bela poesia de Lande Onawale, e causa em nós, poetas daquela geração dos primeiros Cadernos Negros, a sensação de certeza na continuidade revigorada, haja vista que:
para cada agressão que nos fira
temos um ato de revolta que nos cura
para cada racista que delira
a bala
da nossa pele escura
Versos que cada um de nós gostaria de ter escrito.” 
(Jose Carlos Limeira, no prefácio) 


Serviço
Autor: Lande Onawale
Edições do autor

Trecho retirado daqui

Sem comentários: