10 de agosto de 2017

#DicaDoEspelho





O livro é o resultado de tese de doutorado do autor, defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Memória Social da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, em 2015. O estudo foi realizado basicamente na cidade de Rio Claro/RJ, ao longo de quase uma década junto à família materna do autor. O que chama atenção para esse trabalho etnográfico é o complexo de ações empreendido pelo grupo familiar, que levou o autor a revisitar as suas memórias e reescrever, autonomamente, a própria história. As narrativas colhidas entre os parentes dos três troncos que constituem a família extensa dos Bernardo-Glória-Faustino, remetem à reflexão do quanto famílias negras brasileiras são mais que coadjuvantes na construção da identidade nacional. A leitura nos conduz a reconhecer o protagonismo desses sujeitos sociais.

Luís Cláudio de Oliveira é nascido na cidade do Rio de Janeiro a 14 de dezembro de 1959, um dos sete filhos da empregada doméstica Maria da Glória Bernardo e do inspetor de polícia Wilson de Oliveira. Na juventude viveu no subúrbio do Méier, tendo se mudado para a cidade de Guapimirim, onde vive desde  2006. É cientista social, mestre em educação, cultura e comunicação em periferias urbanas e doutor em memória social. Desde os anos 1970 tem ativa participação política em movimentos sociais, especialmente no movimento negro. Foi professor da rede pública estadual do Rio de Janeiro por vinte anos. Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, UERJ.

Coleção Editorial Tramas de Ideias
Famílias Negras Centenárias: memórias e narrativas é o 1º volume da coleção Tramas de Ideias que tem por finalidade reunir obras que resultam de pesquisas acadêmicas das Ciências Sociais e áreas afins. O foco recai na divulgação de análises referentes a temas vinculados aos debates em torno de cidade, religião, relações raciais, sexualidade, emoção, família e memória.

Texto retirado da íntegra daqui
Fonte: Mar de Ideias

Sem comentários: